sexta-feira, 23 de setembro de 2011

“-... Apenas dez mil almas simples, comuns, por uma especial, uma troca justa.”

Ousado, Com um enredo totalmente rápido e envolvente a autora discorre sobre a tormenta das almas com muita obscuridade e um toque romântico.
Darian, o personagem principal é filho de um anjo que se apaixonou e se envolveu por um humano e logo que sua mãe adquire a forma humana comete suicídio. Porém o garoto mal sabe dos próprios segredos e quando encontra Hadji – Sua “anja” da guarda resolve ir à busca de seus objetivos que podem acabar sendo sua própria perdição...
O livro é uma delicia de ler! Mallerey escreve de uma maneira fácil e ágil sem muita enrolação, mas com um tom de mistério que vai se desencadeando ao poucos. Por mais que a história se passe no século XVII eu não conseguia visualizar a época por não haver tantas descrições maçantes sobre o cenário. – O que particularmente me agradou. Além de mesclar a narração em primeira e terceira pessoa fazendo que a leitura se torne ainda mais prazerosa.
Reconheci algumas semelhanças com Cassandra Clare (autora da série Instrumentos mortais) pelo fato de não ter a melosidade angelical e partir mais para a ação e o uso de personagens completamente assustadores.
Darian é um ao mesmo tempo em que é fofo assume uma característica petulante dando um diferencial que é de não ser nem mocinho e nem vilão. É muito difícil não gostar de Hadji que acaba se tornando a própria tentação e a sentença de um final que eu fiquei boquiaberto e implorando por mais!
Anjo negro apresenta a lição que muitas vezes temos que fazer escolhas difíceis e que nem sempre podemos ter aquilo que desejamos.
Mallerey me impressionou com seu talento e eu posso dizer que é uma autora muito promissora e um orgulho para nós brasileiros.
Recomendo para os amantes de um bom livro de mistérios sobrenaturais e ação.
Nota 9

Nenhum comentário:

Postar um comentário